Responsabilidade social

A PROBLEMÁTICA SOCIAL

A percepção de que o Estado é insuficiente como provedor de soluções para a crescente complexidade dos problemas sociais é assumida, hoje, com naturalidade. Essa constatação vem gerando na maioria das pessoas, e nas empresas em particular, reflexões sobre o exercício da cidadania. A crise social coloca em evidência a responsabilidade dos segmentos organizados da sociedade e das empresas na construção de uma sociedade mais justa e humana.

DESEMPREGO E MARGINALIDADE

Sabemos todos que a ausência de perspectiva de emprego é um dos principais motivos de desajuste social e de tendência à marginalidade. No Brasil, uma pesquisa demonstra que o desemprego entre jovens de 15 a 29 anos cresceu 8 vezes desde a década de 70, exatamente a mesma taxa da evolução da criminalidade no país, demonstrando a correlação entre esses dois fatores.

COMO REVERTER ESSE QUADRO

Para reverter esse quadro é fundamental que as entidades do terceiro setor, em parceria com empresas com responsabilidade social e com o setor público, assumam seu papel na solução dos problemas sociais do país mediante uma crescente presença corporativa em projetos sociais, pela ação voluntária e consciente de seus dirigentes e funcionários.

PORQUE AJUDAR

Hoje o marketing social é uma realidade. Todavia, ele não pode estar associado à idéia de oportunismo. As empresas e associações voltadas efetivamente à construção de uma personalidade social devem fundamentar- se numa ação legítima e no desejo sincero de beneficiar a comunidade. Devem procurar orientar-se por uma ação contínua e persistente contribuindo para a melhora efetiva da qualidade de vida da comunidade.

EDUCAR A CRIANÇA E QUALIFICAR O JOVEM

A saída mais inteligente

Nós da Safrater (Obras Sociais Tiaozinho) acreditamos que a melhor opção para a solução eficaz dos problemas sociais do país é educar a criança e qualificar o jovem para o mercado de trabalho, através de programas sólidos e consistentes de educação fundamental e de qualificação profissional.

VISÃO DO FUTURO

A SAFRATER entende que o trabalho limitado a crianças e adolescentes de 2 a 15 anos, conquanto fundamental, é muito importante mas ainda não é suficiente para a formação integral da pessoa. A educação e a qualificação não se consolidaram e o adolescente vê-se diante da vida numa fase em que é extremamente suscetível às influências do meio e vulnerável aos riscos sociais inerentes.

Inaugurado no início de 2013, o CETECC – Centro Educacional e Tecnológico Casa do Caminho, com capacidade para atender até 1.500 jovens por dia, ampliou o projeto “Educando Para a Vida” do Núcleo Educacional Tiãozinho, para crianças e adolescentes a partir de 12 anos, e introduziu cursos profissionalizantes para jovens a partir de 16 anos de idade.

A educação integral e integrada habilita o jovem para a vida social e o ensino profissionalizante o qualifica para o mercado de trabalho, transformando-o em cidadão consciente dos seus direitos e deveres, em gestor de sua vida e em agente do seu próprio destino.

Pensamento motivador: “A melhor maneira de predizer o futuro é criá-lo.” – Peter Drucker